30 junho 2010

Media: "Cost of Living survey 2010" da consultora Mercer
Luanda é a cidade mais cara do mundo, e São Paulo, a das Américas. Madrid em 52ª, Lisboa em 72ª.

"Madrid - Residential rental prices in Madrid appear to be stabilizing. Over the past six months the market have been showing smaller decreases than during the past two years as a consequence of the general economic slowdown and the decrease of sales prices." (continua)

29 junho 2010

Media: País Vasco, Madrid y Cataluña encabezan índice de competitividad turística en España

O "Monitor de Competitividad Turística de las Comunidades Autónomas - MoniTUR 2009", elaborado pela Exceltur e Deloitte, é encabeçado pelo País Vasco, Madrid e Cataluña.

"Madrid resalta por la conectividad en cuanto a transporte, lo que le permite recibir y emitir turistas a cualquier otro lugar, pero debe debe priorizar más el turismo como una política fundamental, advierte el informe, que distingue a Cataluña (tercer puesto) por la segmentación y categorización de sus diferentes productos turísticos, pero también le señala dar más peso al turismo como política fundamental y una mejor regulación del sector." (continua)

Media: Eles escolheram Madrid: histórias de portugueses que vivem na capital espanhola

No dia em que Portugal tem de passar o teste definitivo no Mundial 2010 no jogo contra a Espanha olhamos para histórias de portugueses que trocaram o nosso país por Madrid. (Continua).

26 junho 2010


Veranos de la Villa - A Lingua Portuguesa vem a Madrid
.
.
À semelhança de outros anos, este Verão decorre em Madrid o festival cultural Veranos de la Villa, entre 29 de Junho e 22 de Agosto.
Ao longo deste evento organizado pelo Ayuntamiento de Madrid, podemos assistir a uma grande diversidade de espectáculos (música, dança, teatro, zarzuela, etc.) em cenários espalhados por toda a cidade. Grande parte dos espectáculos decorrem ao ar livre em espaços públicos especialmente adaptados para o efeito (Jardines de Sabatini, Puerta del Ángel, etc.), e também em vários teatros e salas de espectáculos.
.
O cartaz costuma ter muitas propostas interessantes, com um enfoque especial na World Music. Do programa de concertos deste ano fazem parte artistas de renome como Sinéad O’Connor, Elvis Costello, Natalie Cole e Diana Krall.
.
Quase todos os anos inclui artistas portugueses ou brasileiros e este ano não é excepção. A língua portuguesa marcará presença através de Adriana Calcanhotto (09/07), Ana Carolina (12/07), Mariza (13/07), Caetano Veloso (21/07), Carlos do Carmo (09/08) e Camané (16/08), sem dúvida concertos a não perder.
.
O programa completo pode ser descargado aqui.
.
E como aperitivo deixamos-vos Camané, que adoramos e que vai estar dia 16 de Agosto nos Jardines de Sabatini.
.

Camané – Sei de um Rio
.
Escrito em colaboração com Margarida*

25 junho 2010


E 3ª feira...


Espanha x Portugal

...
A língua espanhola

Um relatório do Instituto Cervantes (disponível aqui), apresentado a 19 de Junho - día del español - certifica que o español é a segunda língua mais falada no mundo por número de habitantes nativos, e o segundo idioma de comunicação internacional. 

Por outro lado, as previsões assinalam que em 2030, 7,5% da população mundial será hispanohablante (um total de 535 milhões de pessoas).

23 junho 2010

Cartão Europeu de Seguro de Doença
(Em espanhol, Tarjeta Sanitaria Europea)


Pois é, todos os tugas em Madrid devem tratar de buscar o seu Cartão Europeu de Seguro de Doença!

É muito fácil! Se trabalham em Espanha e estão cobertos pela Seguridad Social é muito simples obter a Tarjeta Sanitária Europea, basta tramitar o pedido directamente por Internet e recebem o cartãozinho pelo correio em menos de 10 dias.

Se por internet não é possível (por exemplo, se os dados do formulario de internet e os da base de dados da Seguridad Social não coinciden) terão que dirigir-se a qualquer dos Centros de Atención y Información de la Seguridad Social (CAISS), actualizar os vossos dados e voltar a pedir a tarjeta (in situ ou por internet).

Se não estão cobertos pela Seguridad Social espanhola, suponho que o estarão por algum dos sistemas de protecção social portugueses. Nesse caso devem dirigir-se à repartição em Portugal que vos corresponda. Mais informação aqui.

Devido à nova politica de Coordenação de Segurança Social na UE estão a haver bastantes mudanças a este nivel. Tentaremos ir explicando os distintos tramites à medida que tenhamos informação ou experiência. Entretanto, como diria o nosso saudoso Lauro Dérmio, let’s look at a traila...

7-0: Ainda antes do orgulho...

…a emoção! Não há assim quantidade de golos que não dê uma alegria imensa… É de encher a alma! OK, podemos ter em conta muitos factores, entre eles que a selecção Norte Coreana não é uma equipa forte, mas que tivemos momentos de excepcional inspiração, tivemos! E são esses momentos que tornam uma boa equipa, simplesmente brilhante (classificação dos jornalistas da TVE à equipa portuguesa)…

As falhas passam despercebidas, os receios e as incertezas desvanecem, e só nos dá vontade ver em repetição todos os golos de uma assentada para encher a alma de emoção uma vez mais…

Aqui fica a goleada, para mais tarde recordar e ver em repeat:



Agora o orgulho:

Portugal alcançou a sua maior goleada de sempre em cinco participações em Mundiais. Estes 7-0 constituem, até ao momento, a maior goleada deste Campeonato do Mundo, ultrapassando os 4-0 da Alemanha à Austrália.

Pode ler-se no Público: "Para a agência noticiosa espanhola EFE, Portugal "despedaçou a muralha norte-coreana" e fez reaparecer o 7-0 num Mundial, 36 anos depois de a Polónia se ter imposto ao Haiti por igual resultado no Alemanha 1974, um registo só verificado quatro vezes em fases finais da prova."

Depois deste doce sabor a vitória folgada, (um massacre melhor dizendo!), vem aí o Brasil… Força Portugal!

22 junho 2010


Comprar Automóvel em Espanha

Seja por necessidade ou pela oportunidade em si, muitos de nós já pensaram ou pensam comprar carro em Espanha. A diferença relativamente aos preços praticados em Portugal é muitas vezes um apelo irresistível. Assim, para quem esteja a pensar comprar carro ou apenas queira saber um pouco mais, seguem-se algumas informações úteis:

Em primeiro lugar, para comprar um automóvel em Espanha, é necessário reunir as seguintes condições:
- Ser residente em Espanha (dispor de certificado de residência – NIE)
- Estar dado de alta na Hacienda (Ministerio de Economía y Hacienda)
- Carta de condução válida

Caso a compra do automóvel seja feita através de um concessionário, estes tratam dos trâmites necessários (registo, pagamento de impostos, etc.), sendo o automóvel entregue pronto a circular, com excepção do seguro automóvel.

Em Espanha, a documentação do automóvel é constituída pelo Permiso de Circulación e pela Tarjeta de Inspección Técnica de Vehiculos.



Para circular legalmente, é também necessário ter as provas de pagamento dos impostos (impuesto de matriculación e impuesto sobre vehículos de tracción mecânica), assim como a prova de pagamento do seguro e cópia da apólice.

Tal como em Portugal, o carro não poderá circular sem seguro contra terceiros. Alguns stands dispõem de acordos com seguradoras que lhes permitem tratar eles mesmos do seguro, no entanto esta nem sempre é a solução mais económica.
Atenção quem seja titular de um seguro automóvel em Portugal, pois algumas seguradoras consideram para efeitos de bonificação o tempo sem acidentes em Portugal, mediante a apresentação de uma declaração da companhia de seguros portuguesa.

Em relação a impostos, é necessário pagar anualmente o Impuesto sobre Vehículos de Tracción Mecánica (IVTM), nos meses de Abril/Maio de cada ano. Este imposto pode ser pago online.

Para mais informações em relação à compra de automóveis usados, recomendo este site.

21 junho 2010

Quero uma vuvuzela!...


De http://www.vuvuzelas.com/


Já sei que parecem elefantes em pena, que os cães ficam aterrorizados e que todo Portugal vai sofrer dos tímpanos, mas... e o que nos estamos a divertir à custa desta treta? E o gosto que dá ir pela rua, ouvir uma vuvuzela e saber que já cá canta mais um? E o que é certo é que todos os putos querem uma e esgotaram em todo o país...
Agora... comparemos a barulheira e alegria (alergia para alguns…) das vuvuzelas com o que passa em Espanha, em que não lhes ocorreu melhor material de promoção que uma colecção de copos?

20 junho 2010

Los Apellidos
Se acabas de chegar a Espanha é possível que estejas metido até ao pescoço neste assunto... De certeza que já te perguntaram coisas como: “¿Y el segundo apellido?” Pois, nuestros hermanos são muy formalitos com estas coisas. Geralmente têm só 2 apelidos (excepto a realeza mas isso é outro assunto...) e o que gera mais confusão para os tugas: põem primeiro o do pai e depois o da mãe. E geralmente não muda ao longo da vida, não há cá tolices de juntar o nome do marido! Mas claro, chegam os tugas que cada um tem os apelidos que lhe apetece e pela ordem que lhe apeteceu aos seus papás, normalmente ao contrário da convenção hispânica, e monta-se a confusão! Ficam já avisados, não tem solução! Para coisas sem importância eu dou só um apelido (o último), mas para coisas sérias tem que se dar todos não é? E não vou alterar a ordem dos meus apelidos... Assim tenho vários cartões de crédito com o apelido da minha mãe e ninguém me encontra no listing de email da empresa, ordenado, evidentemente, pelo primeiro apelido... Contem-nos as vossas aventuras com os apelidos... De certeza que há imenso potencial anedótico por aí...

Firma Electronica (Certificado Digital)

A firma electronica consiste num certificado (documento digital) que atesta a autenticidade de determinada informação enviada digitalmente.
Este certificado é bastante útil pois permite realizar operações de forma segura com os organismos públicos através da internet, como por exemplo fazer a entrega da declaração da renta.
O certificado pode ser gravado no computador a utilizar (que terá que ser sempre o mesmo), ou num cartão comprado para o efeito e que permite a sua utilização em qualquer computador com leitor de cartões (Smart Card).
A assinatura digital pode ser obtida seguindo os passos:

1º) Pedir o código de usuário através da internet no site da Fábrica Nacional de Moneda y Timbre - Real Casa de la Moneda.

2º) Apresentar na Oficina da Línea Madrid da área de residência, mediante marcação (cita previa), o código obtido através do site da Fábrica Nacional de Moneda y Timbre - Real Casa de la Moneda e o documento de identificação (NIE e BI ou passaporte). Em alternativa à Línea Madrid, a acreditação pode ser feita num dos Puntos de Acreditación de Firma Electrónica de la Comunidad de Madrid .

3) Após a acreditação nos serviços da Línea Madrid (ou outro organismo), descarregar o certificado digital para o PC ou cartão. Deve-se fazer uma cópia do certificado para uma unidade externa, de modo a ficar salvaguardado em caso de formatação/avaria do disco.



Mais informação disponível na página do Ayuntamento de Madrid.

19 junho 2010

Cojones, una tesis doctoral

Nas primeiras conversas que tive com espanhóis sempre me perdia um pouco quando usavam derivações da palavra “cojones” pois sentia que cada uma tinha uma conotação diferente, que podia ser positiva, depreciativa, de espanto ou então simplesmente não entendia o seu significado...

Salvou-me uma colega de trabalho (¡gracias Paloma!) que um dia me disse que tinha o texto perfeito para mim, de um famoso escritor espanhol!

E tal como ela me salvou, espero que o que a seguir exponho também vos possa servir de guia para as saborosas “charlas” espanholas... [É um texto grande, mas vejo-o tão bem conseguido que vale mesmo a pena lê-lo até ao fim…]


UNA TESIS DOCTORAL DE ARTURO PÉREZ-REVERTE, SOBRE LA PALABRA "COJONES"

Ahora me explico las quejas de los extranjeros por sus dificultades con nuestras acepciones. Un ejemplo de la riqueza del lenguaje castellano es el número y acepciones de una simples palabra, como puede ser la muy conocida y frecuentemente utilizada referencia a los atributos masculinos, "cojones".

Si va acompañada de un numeral, tiene significados distintos según el número utilizado. Así, "uno" significa "caro o costoso" (valía un cojón), "dos" significa "valentía" (tenía dos cojones), "tres" significa "desprecio" (me importa tres cojones), un número muy grande más "par" significa "dificultad" (lograrlo me costo mil pares de cojones).

El verbo cambia el significado. "Tener" indica "valentía" (aquella persona tiene cojones), aunque con signos exclamativos puede significar "sorpresa" (¡tiene cojones!); "poner" expresa un reto, especialmente si se ponen en algunos lugares (puso los cojones encima de la mesa).

También se los utiliza para apostar (me corto los cojones), o para amenazar (te corto los cojones). El tiempo del verbo utilizado cambia el significado de la frase. Así, el presente indica "molestia o hastío" (me toca los cojones), el reflexivo significa "vagancia" (se tocaba los cojones), pero el imperativo significa "sorpresa" (¡tócate los cojones!). Los prefijos y sufijos modulan su significado: "a-" expresa "miedo" (acojonado), "des-" significa "cansancio o risa" (descojonado), "-udo" indica "perfección" (cojonudo), y "-azo" se refiere a la "indolencia o abulia" (cojonazo).

Las preposiciones matizan la expresión. "De" significa "éxito" (me salió de cojones)" o "cantidad" (hacía un frío de cojones), "por" expresa "voluntariedad" (lo haré por cojones), "hasta" expresa "límite de aguante" (estoy hasta los cojones), "con" indica "valor" (era un hombre con cojones) y "sin", "cobardía" (era un hombre sincojones).

Es distinto el color, la forma, la simple tersura o el tamaño. El color violeta expresa "frío" (se me quedaron los cojones morados), la forma, "cansancio" (tenía los cojones cuadrados), pero el desgaste implica "experiencia" (tenía los cojones pelados de tanto repetirlo).

Es importante el tamaño y la posición (tiene dos cojones grandes y bien plantados); sin embargo hay tamaño máximo (tiene los cojones como los del caballo de Espartero) que no puede superarse, porque entonces indica "torpeza o vagancia" (le cuelgan, se los pisa, se sienta sobre ellos, e incluso necesita una carretilla para llevarlos).

La interjección "¡cojones!" significa "sorpresa", y cuando uno se halla perplejo los solicita (manda cojones). En ese lugar reside la voluntad y de allí surgen las órdenes (me sale de los cojones).

En resumen, será difícil encontrar una palabra, en castellano o en otros idiomas, con mayor número de acepciones.

18 junho 2010


José Saramago - Um adeus ibérico

José Saramago é uma figura ibérica por excelência. Nasceu em Portugal (Azinhaga, Golegã, 16 de Novembro de 1922) e faleceu hoje, aos 87 anos, em Lanzarote, onde vivia há desde o início dos anos noventa com esposa Pilar del Río.

Muito ainda se dirá ainda sobre este escritor, roteirista, jornalista, dramaturgo e poeta português, cujas origens humildes não impediram que se tornasse num dos maiores escritores portugueses de todos os tempos, tendo sido galardoado com o Nobel de Literatura de 1998, entre muitos outros. Saramago foi o principal responsável pelo efectivo reconhecimento internacional da prosa em língua portuguesa. Conhecido pelo seu ateísmo e iberismo, foi também membro do Partido Comunista Português e director do Diário de Notícias.

Para a história ficam, entre muitos outros, "O Memorial do Convento", "O Evangelho segundo Jesus Cristo", e mais recentemente os seus "Ensaios", dos quais o "Ensaio sobre a Cegueira" acabou por popularizar-se ainda mais ao ser adaptado para cinema.

Saramago deixa-nos, e goste-se ou não da figura, ou do seu estilo de escrita, fica a certeza que a literatura portuguesa é a partir de hoje bastante mais pobre.

17 junho 2010

Media: Monocle - Top 25 Most Liveable Cities 2010

Monocle Magazine has released its annual Quality of Life rankings for 2010. The judging factors go outside of economics and politics and focus on liveability factors such as restaurants, green space per head of population, response time for emergency services, local entertainment, and even the ease of starting businesses.

#10 - Madrid - The capital of Spain has taken on a new endeavor titled the Madrid Rio Project, which reclaims 8km of river parkland and urban beaches. Other ground breaking projects include the creation of 16,000 new homes and green space.

#25 - Lisbon
Feriados Madrid 2010 (os que restam)


Em Espanha, dependendo da comunidade, e dentro desta, da cidade em que se vive, os feriados são diferentes, e são diferentes também a cada ano que passa, já que há uma quantidade de feriados movéis que uns anos produzem efectivamente "folga" e noutros não.

Até ao fim de 2010 o calendário laboral da cidade de Madrid é o seguinte:
- Octubre: 12, Fiesta Nacional de España (N)
- Noviembre: 1, Todos los Santos (N)
- Noviembre: 9, Fiesta Local (L)
- Diciembre: 6, Día de la Constitución Española (N)
- Diciembre: 8, La Inmaculada Concepción (N)
- Diciembre: 25, Natividad del Señor (N)

Resumindo, ainda teremos direito a um fim-de-semana prolongado (Novembro), duas pontes (Octubro e Novembro), e à sempre bem-vinda super ponte de Dezembro. Portanto, se estão a pensar escapar-se toca a reservar as viagens, que mais tarde custam todas os olhos da cara.

Os calendários laborais estão normalmente disponivéis em muitas páginas web mas, se não querem que vos aconteça como a mim, que pensava que este anos 3 de Maio e 16 de Agosto eram feriados (eu juro que não percebo como aconteceu), joguem pelo seguro: perguntem à secretária da vossa empresa (ela sabe!) ou consultem esta página da segurança social.

E boas pontes! (Se me tiver falhado algum feriado é favor avisarem, está bem?)
Media: El necesario cambio de mentalidad del trabajador español

En la actualidad una oferta de trabajo, sea del sector que sea, es uno de los tesoros más valorados entre los españoles. Y es que ya son 4.066.202 millones de personas de esta nacionalidad en situación de desempleo, a pesar de que los datos difundidos por el Ministerio de Trabajo e Inmigración mostraran un descenso en el número de parados por segundo mes consecutivo, tras ocho meses de incrementos. Aún así, cerca de un 20% de la población activa se encuentra en el paro, la mayor tasa de toda la zona euro.

La falta de ofertas de empleo en los últimos tiempos ha llevado a muchos ejecutivos, directivos medios y empresarios, a aceptar otras tareas distintas a las acostumbradas colocándoles en sectores claves de la economía española como la construcción, los servicios y la industria. No obstante, y pese a la situación económica que atraviesan muchos profesionales, un estudio realizado por CVexplorer.com basado en la relación entre los candidatos y los headhunters y el mercado laboral, muestra que el 81% de los españoles, ha rechazado alguna oferta de trabajo en los últimos tres años. ¿Qué lleva a los trabajadores a rechazar en la actual coyuntura laboral y económica un puesto de trabajo? ¿Se adecúan las ofertas laborales a los perfiles profesionales? ¿Cuáles son los consejos que aportan los expertos para no bajarse del tren del desarrollo profesional?

Cristina Simón, decana de Psicología de IE University, dice que, en general, una situación como la que vivimos actualmente no genera perspectivas de desarrollo personal ni de crecimiento en el medio plazo. “Percibir que el mercado laboral prácticamente no ofrece opciones de cambio hace que los trabajadores se vuelvan conservadores, e intenten mantenerse en su puesto y ‘tirar’ sin perder prestaciones hasta que mejoren las condiciones”, añade. “En muchos casos los empleados intuyen que las empresas en estas ocasiones ralentizan determinadas acciones de desarrollo, formación y/o compensación, empujadas por la necesidad de reducir costes y bajo el supuesto de que no se enfrentarán a un problema de retención en los próximos meses/años”. Esta creencia, muchas veces cierta, dice, “genera un desaliento general en el clima de la empresa que puede ir en contra del compromiso afectivo de los trabajadores”.
Éste es el escenario para aquellos que cuentan con un puesto de trabajo, pero hay otros que no son tan afortunados. Cristina Villa, directora de CVExplorer.com explica que “algunos trabajadores en paro están más dispuestos a aceptar otras opciones aunque éstas se alejen de su trabajo ideal. Perfiles determinados de sectores concretos [como jóvenes, mujeres y personas de avanzada edad] están acusando muchísimo la crisis y no tienen salida fácil, por lo que es necesario para ellos aceptar otras opciones”. 
Éste es el caso de Marta González. Esta administrativa de una gran empresa, de 42 años de edad, lleva cuatro meses en paro y la razón que la llevó a ser despedida fue que “la compañía necesitaba hacer recortes”, explica, aunque ella no se lo termina de creer. “La búsqueda de empleo va muy lenta y algunos empresarios están aprovechando de la coyuntura actual para reducir plantillas y echar a la gente a la calle”. Mario García, cocinero de 24 años, lleva más de un año en el paro. “Tengo muy pocas expectativas de encontrar trabajo. Está muy difícil para los jóvenes y las condiciones que nos ofrecen son pésimas”. Antonio Carretero, autónomo 58 años es más tajante que ninguno: “No hay ninguna expectativa, ni para mí ni para nadie”. Estados de ánimo, los de estas tres caras de la crisis que se extienden en el sentir de los más de cuatro millones de parados.
Para salir de esta situación, Ángel San Segundo, director Alumni EOI Escuela de Organización Industrial, recomienda a los trabajadores “apoyarse en la tracción delantera en vez de en la trasera”. En su opinión, los trabajadores deben ejercitar este símil automovilístico y “buscar salidas laborales alineadas con la formación de la que disponen. Identificar qué pueden aportar y hacerlas valer”. 
Pero quizá la clave está en la flexibilidad. “Hay que eliminar las barreras a la hora de buscar un empleo. El trabajador debe ser flexible y sacar partido a los conocimientos que tiene. Hay que analizar las habilidades, formación y valores que puede dar a la empresa y desde ahí embarcarse en la búsqueda de empleo activa”, explica el profesor San Segundo quien aporta una salida a corto plazo para los desempleados. “Es muy buena época para invertir en uno mismo. Son tiempos para el autoempleo, para el autónomo y para aquellos trabajadores que no necesitan necesariamente de un grupo. Aunque el empleo del autónomo es frágil, puede cubrir a corto plazo las necesidades de formación y económicas que necesitamos”. 
Versátiles ante la situación económica y laboral
Por su parte, la presidenta en España de la empresa de trabajo temporal Manpower, Carme Mur aclaró en el Desayuno de prensa del Centro de Estudios Jordi Pujol recientemente, que los españoles deben ser versátiles y prepararse y formarse para poder realizar cualquier trabajo, ante la dificultad que supondrá absorber todos los parados. En su opinión, el trabajador debe cambiar de mentalidad y “dejar de pensar que se dedicará a un mismo trabajo toda la vida”. Y es que Mur opina que la “verdadera crisis social” llegará cuando la economía se recupere y, sin embargo, los trabajadores que se han quedado sin empleo no puedan reincorporarse.
En su opinión, “el peor trabajo es el que no se tiene”, por lo que a veces es preferible “bajar un escalón”. Según explicó, para que sea posible la “reabsorción” en el mercado laboral los españoles deben cambiar de mentalidad: “El trabajador tiene que dejar de pensar que se dedicará a un mismo trabajo toda la vida y en un mismo lugar”, afirmó.
La profesora de IE University apunta las claves para no quedarse atrás y poder ser competitivos. “Mantenerse activo, aprendiendo y buscando oportunidades, es fundamental para afrontar una situación como la actual. Es preciso entender cuáles son las oportunidades reales de trabajo en función del mercado y de las propias capacidades, y estar preparado para un reciclaje, un cambio radical en la actividad”.
Sandra González tiene 38 años y llevaba más de 20 trabajando en el mundo de la hostelería. Desde hace siete meses está en el paro. “No tengo confianza en que la cosa vaya a mejorar a corto plazo. En el mundo de la hostelería la cosa está cada vez peor y ya somos muchos los que estamos en el paro. Además, hoy día el empresario contrata a jóvenes o extranjeros con un sueldo bajo para hacer la temporada y luego reducen al mínimo los trabajadores”, explica González quien es un buen ejemplo de reciclaje en época de vacas flacas. “Desde hace cinco meses decidí que no podía estar pendiente de un teléfono que rara vez sonaba. Me he apuntado a clases de gestión de empresa, asisto a seminarios empresariales, de formación e intento mantener mi tiempo ocupado, eso sí, sin gastar mucho que la cosa no está para derrochar”.
Sandra González tiene el perfil, según los expertos consultados, de una profesional que es muy probable que se reenganche al mundo laboral en cuando la situación mejore. “Tenemos que distinguir de todas formas entre profesionales cualificados y no cualificados”, dice Simón. “A los primeros puede penalizarlos contar en su CV con un hueco ‘en blanco’, por lo cual la participación en proyectos puntuales o actividades eventuales ayuda a dotar de contenido al historial profesional”, recomienda.
Contacto con el mundo laboral
No obstante, aunque el mercado laboral se mueva poco, algo sí se mueve. Según el estudio anteriormente citado de CVExplorer, ocho de cada diez trabajadores han rechazado en los últimos años alguna oferta laboral. Cristina Villa señala que “normalmente son personas que tienen buena reputación y están bien considerados en sus puestos de trabajo. El propio mercado proporciona buenas referencias de estos profesionales y otras empresas tratan de tentarlos pero a ellos no les interesa perder la buena posición que tienen en sus trabajos actuales ya que conciben que un cambio siempre conlleve algunos riesgos”.
Si bien esto es cierto, la decana de Psicología apunta que “es importante mantenerse cerca de los colegas que están en activo, analizando cuáles son las capacidades que se están exigiendo ahora mismo por parte de las empresas. Responder a las ofertas de empleo y asistir a cuantas pruebas y entrevistas surjan, para tantear el propio valor de mercado en el momento actual”.
Las implicaciones a corto o a largo plazo que pueden suponer para el trabajador rechazar una oferta laboral son muy variadas. “Habría que analizar los motivos individuales de cada trabajador de no aceptar una oferta laboral; puede ser que sea económico, que se elija otra empresa, etc. Hay una amplia serie de implicaciones cuando se toma una decisión”, explica Eduardo Quero, coordinador nacional de Randstad Search & Selection quien es de la opinión que “rechazar un proyecto, y no un trabajo, es una cuestión que sí puede condicionar la carrera laboral”.
Quero matiza que “el candidato deberá tener en cuenta que tendrá que justificar siempre su decisión en un futuro durante la entrevista de selección de otro empleo. En general, las empresas valoran positivamente que el candidato sea activo: ya sea trabajando en algo que no está directamente vinculado con su perfil o aprovechando el momento de desempleo para mejorar su CV”.
Pero, ¿qué repercusiones psicológicas tiene para el trabajador aceptar un puesto laboral por debajo de sus posibilidades?
El estado de ánimo
La directora de CVexplorer.com explica que “el estado de ánimo de las personas que buscan empleo tiene ciclos: hay periodos en los que el candidato se siente animado y con fuerzas para enfrentarse a la tarea de “buscar trabajo” y otras en las que siente que sus esfuerzos no tienen recompensa y la frustración puede llegar a ser un gran problema”. Por su parte, Quero añade que es importante ser metódico cuando se busca un nuevo trabajo, abordar todos los frentes posibles y no desesperar. “En el momento menos pensado puede aparecer una buena oportunidad”, anima.
Cristina Simón es más tajante con el tema. “Las consecuencias pueden ser devastadoras, y en muchos casos es muy recomendable que la persona busque ayuda profesional. La sensación de indefensión frente a un sistema que excluye al trabajador tras un período de desempleo puede generar una espiral de estados depresivos altamente disfuncionales”.
“Los países anglosajones”, continúa la decana en Psicología, “tienen profesionalizada la figura del asesor de carrera, que por una parte conoce bien las opciones del mercado para diferentes colectivos, y por otra comprende la situación en que se encuentran estas personas, y por tanto es capaz de orientar de una forma muy práctica sobre las alternativas de ‘reinventarse’ para abordar nuevos proyectos con motivación”.
Reforma laboral
Después de casi tres años de crisis económica, el 16 de junio el Gobierno dará a conocer la reforma definitiva que propone el Gobierno, que será aprobada por decreto, después de que los agentes sociales no llegaran a un acuerdo, y cuyo objetivo es fomentar la creación de empleo. El contrato a tiempo parcial o el abaratamiento del despido para acercarlo a la media europea, entre otros, son los puntos que tuvieron paralizado el texto. Un texto que al ser aprobado finalmente por el Gobierno tendrá fuertes repercusiones dada la actual coyuntura económica del país. De momento, los sindicatos ya han anunciado que convocará una huelga general el 29 de septiembre.
Los expertos muestran su preocupación por la negociación, por ejemplo, de los despidos más económicos que “si bien no está claro que esta medida fuera a estar acompañado de salidas masivas de empleados de las empresas (sobre todo ya pasado 2009, cuando se han producido numerosos EREs y ya superamos el 20% de paro), lo que sí podría ocasionar en caso de adoptarse es un descenso aún mayor de la moral de los trabajadores, lo que solamente empeoraría la situación”, apunta Cristina Simón.
El abaratamiento del despido podría entenderse en el marco de un conjunto integrado de soluciones que cambien el modelo de mercado laboral que tenemos en España. “El uso de la media europea como baremo de comparación no es válido si nos limitamos a utilizar este indicador. Es preciso vincular esta medida (en caso de ser adoptada) a otras encaminadas a incentivar el empleo y, sobre todo, a orientarlo a los sectores de actividad que sean más competitivos en el mundo actual que vivimos”.
Por su parte, Ángel San Segundo opina que la reforma laboral tiene contrapartidas positivas como que “busca flexibilizar la contratación y por tanto las barreras de contratación serán más bajas tanto para trabajadores como para empresarios”. Y es que una reforma laboral fuerte que haga más competitivo el mercado de trabajo implica un cambio estructural en otras áreas como el educativo, el formativo y sobre todo el legislativo que debe abordarse con una visión a largo plazo.
¿Y si los consejos fallan o el mercado laboral español se estabiliza más tarde de lo que las previsiones marcan? “Siempre queda volver a los años 60 y buscar trabajo fuera”, apunta el Director Alumni EOI Escuela de Organización Industrial. “Perfiles de trabajadores entre los 25 y 35 años con buena formación y una carrera lo tendrán más fácil en países donde la probabilidad de contratación es más alta que en España como Canadá, Australia o Nueva Zelanda”.

16 junho 2010

Media: Siza Vieira galardoado em Espanha com Prémio Internacional de Artes Plásticas 2010

O arquitecto português Álvaro Siza Vieira foi hoje galardoado com o Prémio Internacional de Artes Plásticas 2010 da Fundação Cristóbal Gabarrón que quis distinguir “o magistério, a relevância internacional e a inspiração poética” da sua obra.

O júri do prémio destaca a defesa que Siza faz de uma arquitectura “transparente e respeitosa com o ambiente onde se enquadra”, elogiando a sua capacidade de desenvolver uma “poética comovedora dos edifícios, a partir do trabalho com espaços e luz”. (continua...)

15 junho 2010

Jornada Intensiva


De Forges

A primeira vez que ouvi falar da Jornada Intensiva achei que estavam a gozar comigo… Na altura trabalhava na Andalucia e a coisa era bastante radical… “De meados de Maio a finais de Setembro o horário é das 8h00 às 14h30...” Eh?! E chamam a isto Jornada Intensiva? O que é que isto tem de intenso? Nem chega para aquecer!... Era um sítio um bocadinho especial (não conto...). Mas era tão bom... Tinha praia...
Depois em Madrid a minha Jornada Intensiva passou a ser mais razoável e dura menos meses.
Com todas as discussões actuais de Crise e Productividade, resta saber quanto tempo vai durar, e o que é certo é que cada vez há mais sitios em que embora seja permitida está mal visto.
Mas realmente, para quem ainda a vai tendo é uma coisa maravilhosa: sair às 15h00 e ir dormir uma sesta ou ir à piscina ou vir ver o jogo da selecção com os tugas!... (bom, essa parte podia ter sido melhor...) Mesmo que custe levantar mais cedo, vale a pena... Quem tem adora, quem nao tem... tem pena de não ter. E toda a gente inveja os funcionarios del Estado, porque eses têm Jornada Intensiva todo o ano.
Azulejos

Não é todos os dias que o Economist fala de Portugal, muito menos para dizer alguma coisa que não esteja relacionada com a crise. Desta vez, o tema é outro e muito nosso: os azulejos. Diz a prestigiada revista na sua edição impressa de 10 de Junho: the venerated Portuguese tradition of azulejos is well worth a visit.

Rua da Madre de Deus, 4, 1900-312 Lisboa
Telf: (+351) 218 100 340
E-mail: mnazulejo@imc-ip.pt  
Horário: Quarta-feira a Domingo das 10 h às 18 h

O artigo completo do Economist sobre os azulejos portugueses pode ser lido neste link.

Jogos do Mundial - Em que canal?

Jogos da fase de grupos na televisão espanhola (clique para ver maior):

14 junho 2010

Compilação de bares de tapas em Madrid 

Aqui e aqui. Arquivos cedidos pelo Miguel Pereira de Melo. 
Media: entrevista a Gabriel Magalhães sobre Portugueses e Espanhóis 

Por Maria de Lurdes Vale no DN. "Ou nos salvamos com a Europa ou nos perdemos com ela" - Gabriel Magalhães é professor da Universidade da Beira Interior. No La Vanguardia publicou um texto sobre como portugueses e espanhóis olham uns para os outros. 
 
Continuamos a ser um "mistério" para os nossos vizinhos?
Um mistério para os nossos vizinhos, mas também para nós mesmos. Portugal é um país enigmático: uma belíssima fotografia desfocada. É por isso que é maravilhoso ser português. A nossa cultura perfila-se como uma viagem rumo a qualquer coisa desconhecida. É este mistério que enfeitiça muitos espanhóis e convém não o esclarecer demasiado, se queremos que o encanto permaneça. 

Portugal e Espanha beneficiaram com a adesão à União Europeia?
Ambos beneficiaram muito com a adesão. Contudo, aquilo que se verificou foi, em parte, uma alteração de cenários. Ficámos envernizados de Europa e falta eliminar o caruncho mais profundo da vida peninsular, que é uma certa falta de preparação cívica e cultural. Com a recente crise económica global essa fragilidade tornou-se mais patente. Já somos europeus por fora, agora, temos de ser capazes de o ser por dentro.
Apesar de estarmos aqui ao lado, a língua e a cultura portuguesas continuam a ser umas ilustres desconhecidas para a maioria dos espanhóis. É preconceito ou desinteresse?
Os espanhóis que amam Portugal fazem-no com generosidade ilimitada.
Mas é verdade que também há, em Espanha, muita gente que dedica ao nosso país uma altiva indiferença. Devemos, porém, reconhecer que Portugal é uma nação que sabe comprar e vender, mas por vezes não se sabe apresentar no estrangeiro. Oscila entre o exagero dos coches de D. João V e a displicência total, tantas vezes sentida na nossa representação externa. 

Há cada vez mais portugueses e espanhóis a favor de uma união ibérica. Acha que esse é o caminho?
Não. Os sacrifícios que espanhóis e portugueses fazem neste momento são-nos impostos em nome de uma moeda europeia. E é a Europa que deve ser o nosso projecto. Foi a Europa que nos aproximou e é na Europa que estamos. Ao mundo não faz falta nenhuma Ibéria, que não passaria de uma potência do meio da tabela: nem a nós nos faz falta. Mas todos teríamos muito a ganhar com uma Europa forte. Ou nos salvamos com a Europa, ou nos perdemos com ela. 

Viveu em Espanha vários anos e deu aulas na Universidade de Salamanca. O que mais aprecia no país vizinho?
A Espanha é um tesouro cultural, pela sua diversidade, a trepidação das cidades e a vivacidade quase dançada das pessoas. Contudo, trata-se de um país que, por vezes, mergulha nos seus infernos. Portugal funciona mais como um longo purgatório.
Reforma na lei de tráfico                                           

Novas e importantes alterações na lei de tráfico.



Salud Madrid - Tarjeta Sanitaria

O sistema de saúde da Comunidad de Madrid é designado por Salud Madrid. A ele têm acesso todos aqueles que efectuem descontos para a Segurança Social (Seguridad Social), assim como utentes de sistemas se saúde estrangeiros, ao abrigo da normativa internacional.
Para poder aceder aos serviços de saúde da Salud Madrid é necessário fazer a Tarjeta Sanitária, equivalente ao nosso cartão de utente.
O pedido da Tarjeta Sanitária é feito no centro de saúde da área de residência (ver aqui), comparecendo no horário de solicitud de tarjetas (consultar no próprio centro) com os seguintes documentos:
- Certificado de empadronamiento
- NIE (caso tenha) e documento de identificação português
- Comprovativo da Segurança Social

Com o pedido da Tarjeta Sanitária é-nos automaticamente atribuído um médico, que está disponível diariamente de segunda a sexta-feira, dentro do intervalo horário escolhido como preferente, no centro de saúde da área de residência.
Para marcar uma consulta com o médico assistente basta marcar na véspera por telefone (número fornecido no centro de saúde) ou por internet.
De salientar que, em caso de baixa médica, apenas este médico poderá emitir o justificativo oficial de baixa médica (para apresentar à entidade laboral, por exemplo), mesmo que o caso clínico tenha sido acompanhado por médicos de entidades privadas.

Escrito em colaboração com Ana Fraga.

13 junho 2010



Procura-se...A lata de feijão frade!



Pois é… agora que (dizem...) vem aí o Verão apetece mesmo uma saladinha de feijão-frade não é? Com ovo cozido, atum… ai, ai… é daquelas coisas que só se nota que falta quando não há!
E não há mesmo! Eu pelo menos nunca encontrei feijão frade em lata num supermercado espanhol. Esta latinha da foto fez a viagem comigo há uns meses atrás.

PS: E já agora a receita para os mais despistados: feijão-frade, ovo cozido, atum, cebola picada, salsa picada, azeite, vinagre e sal. Mais fácil impossível!

12 junho 2010

Jogos de Portugal no Mundial

Aqui fica uma opção para quem quiser ver os jogos de Portugal num ambiente tuga:



11 junho 2010

Cinema em Versao Original (como na terrinha...)

Sendo Madrid uma cidade tão multicultural e com tantos “guiris” à solta, seria de esperar que houvesse uma grande oferta de salas de cinema em versão original (VOS). Infelizmente isto nao é verdade, já que os espanhóis (com honrosas excepções) são acérrimos defensores das suas dobragens, sendo mesmo capazes de discutir contigo que o gajo que dobra o Sean Connery tem uma voz melhor que o original… Enfim, como os tugas não têm a mesma opinião, aqui abaixo temos uma lista (que tentaremos manter actualizada) das salas de cinema VOS de Madrid.
Enjoy!

UGC Manoteras
Avenida de Manoteras, 40;
Metro: Virgen del Cortijo

Este complexo de cinemas na zona norte de Madrid fica um bocadinho fora de mão, sobretudo para quem não tem carro, mas a qualidade das salas compensa. Nem todos os filmes exibidos são em VOS, mas normalmente tem uma meia dúzia em exibição. Tem vários restaurantes e parking (com desconto para quem vai ao cinema). Costuma ter bons descontos para ir durante a semana.

Cine Ideal Yelmo Cineplex
Calle Doctor Cortezo, 6, Plaza de Jacinto Benavente
Metro: Sol, Sevilla, Tirso de Molina

Mais central impossível, este complexo de cinemas está mesmo ao lado da Puerta del Sol, por isso é tão popular (para algumas sessões é melhor comprar a entrada com antecedência). Aqui geralmente encontram-se os últimos blockbusters, mas atenção que nem todos os filmes em exibição são VOS. Algumas salas são pequenas, mas acho que é o único sítio que exibe filmes em 3D e em VO simultaneamente. A localização é excelente para “programas combinados” tipo jantar + cinema ou passeio + cinema. Utilizem o transporte público.

Cine Golem
Calle Martín de los Heros, 14
Metro: Plaza de España

Renoir Plaza de España
Calle Martín de los Heros, 12
Metro: Plaza de España

Renoir Princesa
Calle Princesa 5
Metro: Plaza de España

Estes 3 cinemas estão todos perto uns dos outros por isso tenho alguma dificuldade em distingui-los. As salas são geralmente pequenas. A selecção é bastante variada e ecléctica (sobretudo o Golem): aqui encontramos aquele filme norueguês que nos recomendou o amigo intelectual ou o último de Isabel Coixet. Também funciona muito bem para “programas combinados” já que a zona é bastante animada.

Renoir Retiro
Calle Narvaez 42
Metro: Ibiza

Renoir Cuatro Caminos
Calle Raimundo Fernández Villaverde, 10
Metro: Cuatro Caminos

Verdi Madrid
Calle Bravo Murillo 28
Metro: Canal

Estes 3 cinemas, em outras tantas zonas de Madrid, também têm uma boa selecção de filmes. Como já é habitual as salas não são muito grandes.

Cine Doré (Filmoteca Española)
Calle Santa Isabel n.º 3
Metro: Antón Martín, Tirso de Molina y Lavapiés.

Cinemateca espanhola. Consultem a programação na página Web.

Circulo de Bellas Artes
Calle de Alcalá, 42
Metro: Banco de España

O Circulo de Bellas Artes (CBA) é um centro multidisciplinar, com actividades que vão desde as artes plásticas até à literatura passando pela ciência, a filosofia, o cinema e o teatro. A Sede do CBA na Calle Alcalá tem grande valor arquitéctonico e foi declarado Monumento Histórico Artistico em 1981.

Línea Madrid

Línea Madrid é a designação dada aos serviços municipais de Madrid (Ayuntamiento de Madrid) que estão acessíveis através de:
- Postos de atendimento presencial – Oficinas de Atención al Ciudadano (OAC)
- Telefone, marcando o 010

Os postos de atendimento da Línea Madrid encontram-se distribuídos pelas várias zonas de Madrid, devendo sempre recorrer-se ao que corresponde à área de residência.
A localização dos diferentes postos pode ser consultada aqui.

Para a maioria dos assuntos, o atendimento presencial requer marcação prévia (cita previa), que pode ser feita por telefone (010) ou por internet (aqui).

Em seguida apresentam-se alguns exemplos de trâmites que se podem encontrar na página da Línea Madrid:
- Padrón municipal (Alta para extranjeros)
- Obtenção de firma electrónica (Certificado digital)
- Servicio de Estacionamiento Regulado (SER)

Também é possível pesquisar por entre várias áreas temáticas, das quais se destacam a título de exemplo:
- Consumo e Comércio
- Cultura
- Educação
- Emergências
- Transportes
- Emprego
- Saúde e Serviços Sociais

Este texto foi escrito em colaboração com Ana Fraga.
Como procurar casa em Madrid

A melhor maneira de vir viver para Madrid é com casa paga pela empresa, mas se não pertences a esse grupo de sortudos, aqui ficam umas dicas para te facilitar a vida. Para começar fica sabendo que em espanhol alugar é alquilar e aluguer é alquiler!

TugasMadrid® no Yahoo:
O grupo dos TugasMadrid® no Yahoo é um bom sítio para começar. São frequentemente publicadas ofertas de casas ou quartos em aluguer, com a vantagem de geralmente serem portugueses que lá vivem (ou viveram) a anunciar. Se o teu espanhol ainda se limita a portuñol básico esta é uma boa opção, já que nestas questões convém ter as ideias bem claras e por estes lados ou se sabe espanhol... ou se aprende. Para te juntares ao grupo basta seguir as indicações apresentadas na barra lateral em "Mailing List TugasMadrid®".

Internet:
Existem várias páginas de aluguer de casas e quartos com oferta extensa e actualizada. As minhas preferidas são o Idealista, o Fotocasa e o Enalquiler. É importante sublinhar que estas páginas são apenas plataformas de divulgação onde anunciam tanto particulares como agências. Normalmente as agências praticam preços mais caros, são menos flexivéis na negociação e muitas vezes é preciso pagar um mês de aluguer extra à agência (ou seja, pagar à agência pelo serviço que prestou ao propietário da casa!). No entanto, também é necessário ter cuidado com os particulares, porque há de tudo e ficar nas mãos de um mau senhorio é aperitivo para problemas futuros que só trarão muitas duros de cabeça.

O ideal, nas páginas que o permitem, é configurar avisos para receber no mail ou por sms. As ofertas mais apelativas são obviamente as mais concorridas e muitas vezes esperar pelo fim do dia para telefonar pode significar que a casa já foi alugada. Basicamente, nos avisos o que se faz é escolher umas série de características desejadas (por exemplo número de divisões, zona, se inclui garagem, etc.) de modo a receber apenas anúncios de casas com essas mesmas características.

A esmagadora maioria dos propietários não deseja alugar casas por períodos inferiores a um ano, pelo que se vens só para o Verão, ou de Erasmus, por exemplo, vai ser muito díficil encontrar casa por esta via, o melhor é mesmo recorreres a algum amigo ou nosso grupo dos TugasMadrid® mencionado acima.

Em todo este processo o melhor é estar muito bem informado para poder fazer as perguntas certas e não ter surpresas mais tarde. Basicamente, não deixes que te tomem por parvo. Uma questão fulcral é a dos contratos de arrendamento, que em Espanha tem algumas diferenças importantes com Portugal. Nos próximos dias será publicada mais informação relativamente a redacção de contratos, conceitos de fiança e aval, ajudas de aluguer, etc.


Feedback dos nossos leitores é sempre bem-vindo e os tugas recém-chegados com toda a certeza agradecem. Quais são as vossas páginas de aluguer favoritas? Qual é a melhor forma, para quem chega fresquinho, de procurar casa?

10 junho 2010


Grande Inauguração

Está oficialmente aberto o blog da comunidade tuga mais espectacular do mundo, a dos TugasMadrid®, por supuesto! E para celebrar tão grandioso evento, desde agora até à meia-noite está no ar o passatempo RiR Madrid.

Para mais informações sobre o passatempo, cliquem no menu acima onde diz, precisamente, "Passatempo RiR - Rock in Rio Madrid"! Todos os updates sobre o passatempo no Twitter e Facebook

Boa sorte e feliz dia de Portugal!

Falsos amigos que são palavrotas

Folha, desfolhar, etc, etc, são coisas que não soam nada bem em espanhol.
Por favor, nunca peçam a um espanhol "dá-me uma folha"! (Pelo menos em público!)
Reparem como na sua apresentação no Festival Eurovisão da Canção de 1969 o nome da canção "A Desfolhada Portuguesa" foi estrategicamente traduzido. Imagino que um espanhol que a oiça fique no mínimo curioso quanto ao significado da letra.


Desfolhada Portuguesa - Eurovision 1969 - Simone de Oliveira - Ary dos Santos
Passatempo RiR - Rock in Rio Madrid

Para inaugurar o blog TugasMadrid® da melhor maneira, e já agora também em jeito de comemoração do dia de Portugal, vamos leiloar dois bilhetes para o último dia do RiR Madrid, na próxima segunda-feira, dia 14 de Junho!

Assim sendo, o tuga mais generoso de Madrid vai ter oportunidade de assistir, com um acompanhante à sua escolha, aos concertos de Metallica, Motörhead e Sôber, entre outros.

A base minima de licitação são 2€, e a partir daí será sempre a subir. À meia-noite em ponto encerra o leilão e a melhor oferta, naturalmente, ditará o grande vencedor.

Muita atenção às regras:

- primeiro, têm de se fazer seguidores do blog TugasMadrid® (ali na barra à direita onde diz Followers). Se por acaso chegarmos ao fim e a licitação mais elevada não pertencer a um seguidor do blog, kaput, o prémio vai para a licitação mais alta de um seguidor, portanto atenção a este ponto.

- para fazerem uma licitação devem enviar um mail para info@tugasmadrid.info , indicando no subject o valor de licitação, e no email o vosso login de seguidor (para vos podermos identificar)

- ao longo do dia serão feitas actualizações das ofertas de licitação no Twitter do TugasMadrid®, para poderem acompanhar a evolução da bondade portuguesa, que esperemos, seja muita!

- O leilão termina exactamente às 24h do dia 10 de Junho

 O vencedor poderá escolher a quem doa o prémio de entre as seguintes instituições:

- UN Children’s Fund (UNICEF) 

Finalmente, depois de recebido  o comprovativo de tranferência para a instituição escolhida, os bilhetes serão entregues em mão durante o dia de segunda-feira, na belíssima cidade de Madrid.

A equipa do TugasMadrid® expressa aqui o seu sincero agradecimento ao Ricardo Pascoal e ao RiR Madrid pelos bilhetes disponibilizados.

E já está, o leilão encontra-se oficialmente aberto!
Até já!