21 abril 2011

Tugas vão à disco - Camarón de la Isla - La Leyenda del Tiempo
Em tempo de Semana Santa, pus-me a pensar em procissões, saetas, fandangos, bulerias, flamenco e, claro, Camarón. Que não é muito disco, mas está nas origens da musica espanhola actual.

José Monge Cruz, mais conhecido como Camarón de la Isla, ou simplesmente Camarón, nasceu em 1950 em Cádiz. Começou a cantar com 8 anos nas tabernas e paragens de transportes públicos para ganhar dinheiro. Em 1968 conheceu Paco de Lucia em Madrid e juntos gravaram 9 álbuns entre 1969 y 1977. Quando Paco de Lucia começou a sua carreira a solo, Camarón juntou-se com Tomatito. O primeiro disco sem Paco de Lucia foi La Leyenda del Tiempo. Este disco é considerado um marco do flamenco, distinguindo-se pela sua aproximação ao rock e ao jazz, incluindo a adaptação de poemas de Federico Garcia Lorca.
Camarón faleceu em 1992 em Badalona, vítima de cancro de pulmão. A sua morte causou uma grande comoção social traduzida no lema "Camarón vive". O seu féretro foi envolvido na bandeira cigana.




El sueño va sobre el tiempo

flotando como un velero

nadie puede abrir semillas

en el corazon del sueño.

El tiempo va sobre el sueño

hundido hasta los cabellos.

Ayer y mañana comen

oscuras flores de duelo.

El sueño va sobre el tiempo

Sobre la misma columna

abrazados sueño y tiempo

cruza el gemido del niño

la lengua rota del viejo.

El sueño va sobre el tiempo

Y si el sueño finge muros

en la llanura del tiempo

el tiempo le hace creer

que nace en aquel momento.

El sueño va sobre el tiempo

Nenhum comentário:

Postar um comentário